Esse post é a continuação do roteiro que fiz durante o verão de 2013. Como já disse anteriormente, fui para Hvar (pronúncia: Ravár, Ávar e até Ruar… cada um falava de um jeito – eu falo “ravár” hahaha) saindo de Split,  ponto de partida para a ilha croata, famosa pelas festas durante o verão europeu.

07

Retomando o post sobre Hvar…

Como ir até Hvar, saindo de Split:

Onde comprar: Nós fomos um dia antes até o porto para comprar o ticket, pois não era possível comprar pela internet. Assim que você chega no porto, já é possível encontrar sinalização que indica onde está o guichê dos tickets para Hvar.

O processo é simples, até porque esse trajeto é muito procurado pelos turistas. É possível embarcar com quadriciclos, bicicletas etc., mas o preço do ticket aumenta, é claro.

Duração: Me disseram que a viagem demorava em torno de 1h até Hvar, mas a nossa levou quase 3h, a ponto de acharmos que estávamos indo para o lugar errado. Depende do tipo de ferry, mas tenho certeza que eles sabem informar a duração média do trajeto no momento da compra. Vi no site da Jadrolinija que o trajeto dura 2h.

Valores: Os valores do ticket variam. Vi um site falando que custa 39 kunas por pessoa. Pagamos em torno de 65 kunas (8 euros).

Horários: Não sei o itinerário, mas várias balsas saem durante o dia com destino à Hvar, ou seja, muito horários disponíveis para viajar.

Essas dicas podem ajudar, mas o melhor mesmo é chegar com antecedência, pegar a fila e efetuar a compra.

UPDATE: gente, até 2013 não era possível comprar online. Porém entrei no site da Jadrolinija (empresa de ferries bastante conhecida na Croácia) e é possível verificar os trajetos, horários, preços e inclusive efetuar a compra. Eu não finalizei a compra, porém até o processo de pagamento parece que dá para comprar sim. Se alguém finalizar o processo, por favor deixe um comentário para os próximos leitores.
Transporte do Porto até o Centro

Hvar é uma ilha formada por “povoados” bem simpáticos e a capital é a cidade Hvar. Não existe apenas 1 porto na ilha. Ao sair de Split, você pode chegar no porto Hvar Town ou no Stari Grad (outra cidade mais ao norte da ilha), sendo que no primeiro só chegam os barcos menores que transportam apenas pessoas e o segundo é o porto que comporta os ferries maiores que carregam também veículos.

Se você chegar no Stari Grad, vai precisar pegar um ônibus até o centro de Hvar. Ao sair do porto, já é possível ver os ônibus esperando os visitantes. Não é difícil de achar, é só seguir o fluxo! Aconselho que pegue o ônibus assim que chegar em Stari Grad, pois não existem muitas opções de horário.

Não é possível comprar o ticket com antecedência, o pessoal paga lá na hora mesmo. Não me lembro o valor exato, mas não passa de 5 euros. O ponto final do trajeto é a “rodoviária” que fica bem próxima ao centro turístico de Hvar.

Acomodação

Quando fomos para Hvar, li um post na internet onde as pessoas afirmavam que não era necessário reservar um hostel na ilha, pois ao chegar no centro da cidade de Hvar, muitos moradores locais estariam em frente à rodoviária esperando os turistas para oferecer acomodação em suas próprias casas.

É verdade! Muuuuitas senhoras estavam lá com suas plaquinhas, prontas para negociar preços e com fotos da acomodação. Quando procurei hostels para a alta temporada, a diária mais barata que encontrei foi uma de 55 euros. Isso porque deixei para a última hora e ficar na casa de uma dessas senhoras foi a melhor opção.

Pode ficar tranquilo! Não é impossível encontrar alguns hostels mais em conta. Fiz uma simulação de reserva (em Junho de 2015) pelo Hostel World e achei três hostels mais baratos e bem avaliados: Hostel Villa Skansi (a partir de 15 euros), The White Rabbit Hostel (a partir de 16 euros) e Youth Hostel Villa Marija (a partir de 20 euros). Eles tinham vagas disponíveis para o final do mês de Junho, mas já estavam lotados no mês de Julho.

Resumindo: se deixou as reservas para última hora, não se preocupe. Ao chegar na ilha, você encontrará muitos nativos que oferecem quartos privados e rola uma negociação de preços. Eu e minha amiga pagamos cerca de 25 euros por um quarto privado com banheiro + ar condicionado, numa casa de 3 andares (a senhora morava no último andar e havia mais 4 quartos com outros hóspedes) bem no centro.

ATENÇÃO: são muitas as opções de casas das velhinhas croatas. Ao descer do ônibus, elas quase “atacam” os visitantes e brigam entre si para conseguir arrastar um hóspede com elas. Chega a ser cômico, porque elas discutem em croata enquanto falam um inglês complicado de entender com os visitantes. Enfim… é importante ficar atento: você vai encontrar alguns preços muito baixos, mas essas senhoras vivem um pouco mais longe do centro, festas e pontos turísticos. Acho mais interessante pagar um pouco a mais, mas poder voltar andando para a casa.

Minha opinião sobre ficar hospedada na casa de um morador local: achei supertranquilo, mas existem algumas regras, é claro. Nós voltamos das after beach parties fazendo barulho, fizemos esquentas antes da balada e ninguém reclamou. Até o dia em que nosso amigo levou uma menina para o quarto dele, depois da balada, durante a madrugada e, no dia seguinte, a dona da casa surtou com ele. Enfim, o preço foi combinado, o lugar era limpo… eu gostei. Com bom senso e respeito, as coisas vão bem, como em qualquer lugar.

Atrações turísticas

10

Muitas pessoas alugam barcos para visitar as ilhas próximas a Hvar. O barco não é difícil de guiar, só que confesso que estou dizendo isso porque não fui eu quem mexi em tudo, e sim nossos amigos. Mas eles conseguiram! O cara que alugou não pediu nenhum documento específico (como carteira de motorista ou algo assim) e deu uma aulinha rápida sobre como fazer o barco funcionar. Além disso, a gente ganhou um mapa do cara que indicava as melhores ilhas e praias para visitar. Se você não quer alugar um barco, é possível pegar um barco táxi também.

O aluguel vale por todo o dia e é bom pesquisar e comparar os preços já que existem muitas pessoas na ilha alugando esses barquinhos. O passeio é bem legal e o cenário é maravilhoso! É interessante acordar bem cedo e alugar o barco pela manhã, porque têm vários locais para visitar.

PS. para leigos: âncora é a palavra foco!!! Preste muita atenção ao “estacionar o barco”. Não deixe de usar a âncora, senão o barco vai embora. E quando quiser usar o barco novamente, puxe a âncora, ou a corda vai enroscar na hélice e você vai se ferrar para desfazer o “nó”submerso. #vivendoeaprendendo

11

Hvar é pequena e dá para fazer tudo a pé. O principal ponto da ilha é a praça Trg Svetog Stjepana, onde há muitos restaurantes, lojinhas e também está localizada a Catadral de Santo Estevão e o arsenal que vale a pena visitar.

O porto fica bem perto dessa praça e a arquitetura da ilha é bem distinta.

01 02

Festas

Finalmente nosso foco! As festas… 🙂

Durante a tarde, fomos para a famosa atração da ilha: Hula Hula. É um bar onde rola a “after beach party”. Começa a encher no finalzinho da tarde e ENCHE MESMO! Não precisa pagar para entrar e os drinks tem um preço razoável (entre 10 e 15 euros – lembrando que o pagamento é em kuna).

04

Eu e minha amiga chegamos lá pelas 16h e o pessoal já estava bebendo. Com o pôr-do-sol, o bar virou uma balada: banho de champanhe, músicas muito boas, galera top. Sensacional.

13

05

Algumas pessoas (bem humildes) chegavam de iate e paravam bem em frente à festa. Ficavam transitando da festa para o iate, só naquela ostentação haha. E não era apenas 1 iate, parecia mais ‘normal’ do que você pode imaginar.

Para chegar até o Hula Hula é necessário passar por um hotel e fica um pouco afastado do centro, mas dá para ir caminhando tranquilamente. O problema é a volta. Nós conseguimos nos perder e estava tudo escuro. Quando vimos, estávamos escalando barrancos e encontrando pessoas literalmente d-o-r-m-i-n-d-o pelo caminho. PT total! Sinal de que a festa é boa?!!! 🙂

Outra festa imperdível é a da Carpe Diem, a balada mais famosa de Hvar. Ela “começa” na Carpe Diem Bar localizada na própria ilha, em frente ao porto de Hvar. Durante a noite, as pessoas pegam uns barquinhos que levam até outra ilha e lá está localizada a Carpe Diem Beach Club. A balada é lotada e os preços mais elevados, mas vale “o investimento”.

08

Um bar bastante conhecido também é o Kiva bar. Nós passamos bem rápido por lá, pois estávamos atrasadas para encontrar uns amigos na Carpe Diem. Mesmo assim, deu para ver que o lugar é bem agitado e procurado pelos turistas.


Gente, eu curti muito as festas de Hvar! Felizmente, saímos sãs e salvas de lá. Seguimos de volta para Split, alugamos um carro e seguimos para o pico master de baladas na Croácia: Novalja!

Se você gostou do post, compartilhe para que mais pessoas tenham acesso. Para não perder nossas atualizações, curta a página do facebook, instagram ou se inscreva no canal.

Atalho para Split
Ferry saindo de Split até a ilha Hvar (comprar com antecedência ou online pelo site da Jadrolinija
Se seu ferry chegar no porto de Stari Grad, existem ônibus que fazem o trajeto até Hvar
Dormitórios em casas de moradores locais com banheiro privado
A diária dos quartos compartilhados custa 25 euros. Pagamento de acomodação, balada e restaurantes sempre em dinheiro (kunas)
Tem wifi na casa (sempre bom perguntar para o proprietário da casa antes)
Festas maravilhosas: tem que conhecer Hula Hula, Carpe Diem e Kiva Bar. Baladas mais caras, estilo Mykonos e Ibiza

No facebook

comentários