Cancun: dicas para economizar no paraíso

Nosso roteiro de Julho de 2016 começou no México e terminou em Cuba. No post “Cancun dicas para economizar no paraíso”, você encontra todas as nossas lições, pés perrengues de viagem 🙂

Se Cancun não é sua vibe pelas festas e tal, não se preocupe, tem muito lugar maravilhoso para visitar. Além disso, existem outras cidades na Riviera Maya menos turísticas e bem tranquilas que podem ser mais interessantes, dependendo do seu perfil.

Para chegar até elas, provavelmente você precisará passará por Cancun e vale a pena conhecer. 🙂

cancun_1

Como chegar em Cancun

É possível encontrar voos diretos para Cancun. Nós compramos a passagem de última hora, pagamos o olho da cara, tivemos que fazer mil conexões: São Paulo > Belo Horizonte > Miami > Cancun, mas você não precisa passar por esse perrengue, comprando a passagem com antecedência haha.

Assim que chegar no aeroporto de Cancun, você pode pegar um ônibus, táxi ou vans de diferentes empresas que ficam em frente ao aeroporto, com destino ao centro e cidades próximas como Playa del Carmen e Tulum:

Ônibus no aeroporto de Cancun

A empresa ADO tem uma parada de bus no aeroporto com destino a rodoviária, a qual está localizada no centro. Sai de 30 em 30 minutos e a passagem custa entre 10 e 15 dólares. Tentamos essa opção nas duas vezes que chegamos em Cancun por ser uma opção mais econômica, porém a fila estava enorme e o ônibus não chegava nunca. Além disso, assim que chegar no centro você precisará pegar outro ônibus ou táxi até seu destino final.

Vans no aeroporto de Cancun

Se você pagar por uma van coletiva, ou seja, para dividir com outros passageiros, custa entre 12 e 15 dólares por pessoa e se comprar a ida e volta de uma vez, eles dão um desconto. A desvantagem é que tem que esperar lotar. Essa foi nossa segunda opção após descartar o ônibus, com a empresa Supershuttle, mas depois de mais de 35 minutos esperando a van lotar e sem previsão de quando sairíamos de lá, pedimos o dinheiro de volta e resolvemos tentar o táxi. A alternativa com essas empresas é a van privada (só para você) que sai na hora, mas são 50 dólares por pessoa.

Já na segunda vez, assim que chegamos na volta de Cuba, havia uma van quase lotada com 2 lugares disponíveis. Pagamos 14 dólares cada uma e saímos do aeroporto de imediato. A desvantagem é que o cara vai deixar pessoa por pessoa nos devidos hoteis/hosteis e você pode ser o último. Tem que esperar um pouco se quiser economizar!

Táxi no aeroporto de Cancun

Acredito que é a melhor opção, porque não tem tanta diferença de preço assim, ainda mais se você estiver com mais pessoas. Combinamos o valor da corrida por 35 dólares com o motorista até a zona hoteleira e o carro era gigante, novo, em ótimas condições, ar condicionado e tal, além de nos levar direto para o hostel. Se dividíssemos com mais pessoas seria ainda mais barato e nesse, por exemplo, tinha lugar para até 7 pessoas.

Para quem for viajar sozinho: pergunte para pessoas que estão procurando locomoção na saída do aeroporto se querem dividir táxi com você. É suave, pois provavelmente vocês vão para a mesma direção. Se tiver com quem dividir ou uma grana extra, recomendamos o táxi!

Acomodação em Cancun

Existem diversas opções de acomodação tanto no centro quanto na zona hoteleira. No centro, você encontra a realidade mexicana, bem menos turística e o custo da acomodação é menor quando comparado à zona hoteleira. Não a toa, nessa área estão concentrados quase todos os hostels.

cancun_3

Nos hospedamos em um dos poucos hostels localizado na zona hoteleira chamado Natura Hostel e está recomendadíssimo. O hostel fica numa casinha fofa no meio de vários prédios da zona hoteleira e a localização é ótima.

Fica a metros de distância das melhores baladas, tem um restaurante bem embaixo, entre uma casa de câmbio e uma farmácia com supermercado ao lado, além de estar pertíssimo da praia. A infraestrutura também é ótima, tem ar condicionado nos quartos, armários para guardar as malas, banheiros limpos, a decoração é uma graça e tem uma terraça bem legal para interagir com outros viajantes.

Resultado de imagem para hostel natura

Vale a pena ficar hospedado no centro de Cancun e não na zona hoteleira?

Nós achamos que não vale. Eu prefiro ficar perto dos locais que eu vou visitar, pois assim não gasto com transporte e fico tranquila pela facilidade de voltar quando eu quiser/precisar sem depender de terceiros.

Se você se hospedar no centro, não é difícil chegar na zona hoteleira; as linhas R1 e R2 passam pela avenida principal e é uma reta só. O trajeto leva cerca de 25 minutos, dependendo de onde for descer e do trânsito (tem trânsito nos horários de pico), mas é legal lembrar que são 25 minutos de ida + 25 minutos de volta + o calor haha. Particularmente, acho que fizemos a escolha certa com esse hostel na zona hoteleira.

A diária do hostel saiu 28 dólares para cada uma. É possível pagar com pesos, dólares ou usar o cartão de crédito.

Festas em Cancun

Se você está procurando por festas, Cancun é o lugar! Nós gostamos muito e não poderíamos perder, apesar dos valores relativamente altos.

No final das contas, se você comparar a São Paulo, até que os preços das baladas estão ok, já que as atrações são muitas e é tudo open bar. Gostamos, mas você tem que ver quais são suas prioridades.

Mundialmente conhecidas, as melhores baladas estão na zona hoteleira (bem pertinho desse hostel que indicamos acima). Alta demanda, altos preços! No primeiro dia, pagamos 20 dólares para entrar no Congo. Era open bar, mas achamos o DJ bem fraco, apesar da infraestrutura ser legal. Para o Cocobongo e Mandala, que são as mais famosas, os valores variam entre 55 e 90 dólares.

Gente na rua vendendo ingressos, não vai faltar. Desde os promoters da própria balada, até o cara que tem loja de sapato X. Porém, os valores são todos meio parecidos.

Mandala + Mandala Beach em Cancun

Pagamos 65 dólares para entrar na Mandala com acesso a Mandala beach, como se fosse um combo de 2 ingressos que negociamos com um dos vendedores das agência de viagem. As duas ficam uma ao lado da outra e a Mandala Beach tem uma piscina e dá acesso à praia, já a Mandala é fechada.

Cocobongo em Cancun

Aqui tem uma dica maravilhosa para quem quer conhecer o lugar, mas não ta com aquele orçamento gordo e bonito:

Conversando com os promoters, tem um esquema em que você paga 30 dólares fica até as 23h no bar Congo que é open bar. A partir desse horário eles mudam sua pulseira para entrada no CocoBongo.

Todas as baladas lá são “all inclusive” ou as chamadas “barra libre” que é o nosso open bar no Brasil. O esquema normal do CocoBongo é: a pulseira de 70 dólares (ou mais) é open bar + entrada à partir das 21h30 mas, ao comprar a pulseira de 30 dólares, você não tem a opção nem de comprar uma bebida separada. É seco mesmo, só paga pela entrada para assistir os shows e perde 1h30 do espetáculo, pois tem que esperar até umas 23h para ter acesso.

É um esquema ok! Os shows duram a noite toda, não achei que perdemos muito e você não precisa ficar sóbrio a balada toda por isso… os garçons dão bebida para as meninas que sobem no queijo hahahahaha.

To brincando, você não precisa subir no queijo por bebida! Onde fica o bar é quase um palco e várias meninas sobem no balcão cazamiga loca e ficam lá dançando. Muitos meninos sobem também e os próprios artistas fazem partes do shows nesse balcão, é bem legal.

Na verdade é um bom lugar para ficar, pois você fica em frente ao palco principal e do alto dá para ver a balada toda. Lá, os garçons davam qualquer bebida com ou sem pulseira. Fora que quando tem o show do Máscara eles descem tequila em geral.

Comprar essa pulseira, foi um bom jeito de economizar 80 dólares (40 de cada), até porque fomos no último dia da viagem (nossa conexão para o Brasil) e não tínhamos mais um centavo sequer. Porém, não ache os 70 dólares too much, como eu pensei no início, porque o CocoBongo é demais, tem muitas atrações, eles super interagem com o público, vale a pena passar uma noite doida cos migos no open bar.

Se você não bebe ou não está afim, não tem problema algum, visite essa balada mesmo assim. Essa opção dos 30 dólares é perfeita para você! Os show são muuuuito legais, vale super a pena conhecer.

Na dúvida, recomendo o CocoBongo com aquele pensamento: já estou em Cancun, tenho que conhecer! Lifetime experience.

Atrações turísticas

Cancun por si só já é uma atração turística. A cidade é muito bonita e as praias são apenas maravilhosas.

Uma das mais visitadas é a praia Delfines que tem o letreiro “CANCUN” escrito com o mar de fundo. Isso é real um ponto turístico e seria legal se não fosse pelo fato de todo dia ter uma bela fila para tirar foto. Pra mim não fez diferença, então deixamos a foto pra lá, passamos reto pela fila e fomos aproveitar a praia que é linda!

cancun_4

Mercado 28

O Mercado 28 fica no centro. Nós pegamos a linha R1 e pedimos para o motorista nos avisar quando chegássemos perto. Assim que descemos, demos de cara uma loja rosa de esquina que chama Plaza 28 e pensamos que era essa. Ficamos até bem decepcionadas que não passava de uma loja turística bem cara.

Lerdas! Esse não era o mercado! O Mercado 28 fica a umas 4 ou 5 quadras do ponto de ônibus e é enorme tem várias lojinhas juntas, tipo a 25 de Março em São Paulo. Na verdade, estranhamente me lembrou muito a medina de Marrakesh, pela estrutura do comércio.

Os tours

A cada 100 metros, você encontrará pessoas vendendo tours. No hostel, no centro, nas lojas, restaurantes, etc. Sério tem uma lista gigante de passeios que você pode fazer.

Nós fizemos o “Isla de las Mujeres + snorkel + beach club” no primeiro dia e “Cenote + Chi Chen Itza + Valladolid” no segundo. Para ter uma ideia de valores, fechamos esses 2 dias de passeio por 85 dólares cada pessoa, ou seja, 42,50 dólares por passeio. Os preços são super negociáveis, eles sempre vão tentar lucrar mais, mas você pode pesquisar com diferentes vendedores até chegar em um acordo justo.

Farei um post separado para cada dia de tour com as dicas mais relevantes, mas nesse primeiro momento sobre Cancun, deixo as infos:

DICA 1

Leve dólar para pagar os passeios e baladas, porque com a conversão para peso mexicano sai mais caro;

DICA 2

Se você ficar no Hostel Natura, o mesmo que nós, logo na entrada tem esses carinhas que vendem tours. Assim que chegamos, conhecemos um tal de Luis. Ele levou nossas malas até a recepção, foi super amigável. Ofereceu os tours fingindo que era brother, fazendo um precinho camarada porque estávamos no hostel. Não compramos de imediato para pesquisar um pouco ao redor, apesar da pressão sinistra dele.

Obviamente, encontramos mais barato e ao tentar negociar com ele na volta para o hostel – já que ele era migo e queríamos comprar com ele – veio a famosa cultura do medo: “O meu é garantido, te busco aqui no hostel. Já sei onde vocês estão, vocês já me conhecem. Esses caras que vendem na rua enganam turistas, mas vocês quem sabem“.

Retrucamos que, na verdade, tínhamos ido até uma agência de viagens que vendia o mesmo passeio (no caso, os dois eram revendedores da mesma empresa) e, inclusive no site oficial do passeio, o valor era menor que o que ele oferecia. Cara, ele foi muito dissimulado: “Ok, eu não posso dar mais desconto que isso, mas são SÓ 25 DÓLARES DE DIFERENÇA, que você pagará pela garantia de que o passeio não é uma furada. Não entendo vocês“.

Sim querido, se são SÓ 25, me dá esse desconto então. Por que eu pagaria mais por algo que não vale isso? Eu tenho pavor de quem trabalha com a cultura do medo em cima do turista. Fomos bem educadas e acabamos não fechando com ele. O QUE? O maior falsiane da história do México hahaha. Ele olhava com cara de desprezo todos os dias pra gente, deu até medo. Nem bom dia respondia mais. Ficou sentido real.

Como dissemos no post de Cuba, esse tipo de coisa acontece com os turistas em todo lugar e é normal, mas com internet para pesquisar e concorrência, a gente não fica tão refém de preços abusivos. Apenas não compramos com ele e bola pra frente, mas cuidado com “os Luises” da vida que você vai encontrar por aí.

DICA 3

Saindo do Hostel Natura, em direção ao CocoBongo, você encontrará a agência pertinho do ponto de ônibus, mesma calçada e tal. Fechamos com o señor Anselmo.

No começo ele jogou o preço nas alturas e foi diminuindo para parecer que deu um descontão, mas negociamos bastante e pagamos muito mais barato que todos as outras pessoas que trocamos ideia no hostel. As loucas do desconto kkkk ?

DICA 4

Maior dica: pechinche. Eles colocam uma bela gordura no preço e são bem abertos a negociações.

Seguro Viagem em Cancun

Fazer seguro viagem para viajar para o México não é obrigatório, porém é obrigatório para visitar Cuba. Se você pretende passar por lá, terá que contratar um seguro viagem.

Mesmo não sendo obrigatório no México, nós sempre contratamos um serviço de seguro durante nossas viagens. No post 5 motivos para contratar um seguro viagem colocamos nossas razões, porém temos uma história sobre o México especificamente. A Bruna passou 2 meses em Playa del Carmen e acabou tendo uma infecção alimentar. Ficou quase 2 dias seguidos no hospital e foi bem ruim. O seguro ajudou bastante, senão além de passar mal, teria o prejuízo com os gastos do hospital.

Nós usamos o site da Real Seguro Viagem. Esse site é ótimo porque compara os valores entre empresas de seguro e mostra também as diferenças entre os planos. Só precisa colocar o destino e o período da viagem, e eles já enviam o orçamento por e-mail ou às vezes já te ligam em seguida. Pode tentar aí, o orçamento é gratuito:

Seguro viagem america central 250x250


Queridos, essas são as primeiras dicas valiosíssimas que tiramos da nossa experiência no México. Vou escrever sobre Isla de las Mujeres e os outros tours que fizemos em Cancun, mas não esqueçam que depois seguimos viagem sentido Playa del Carmen e Tulum, então tem muita dica aqui no site.

Aguardem os próximos posts e continuem acompanhando nossas atualizações: curta a página do facebookinstagramse inscreve no canal.

No facebook

comentários

By |2018-01-06T01:12:54+00:0014 outubro, 2016|Tags: , |

About the Author:

Camila Faria, 26, mackenzista formada em Administração de Empresas com pós graduação em Controladoria de Empresas pela FIA. Fez o primeiro intercâmbio aos 17 anos e criou o site em 2013, durante o ano em que fez faculdade na Europa. Para se dedicar ao Must Share Br, saiu do trabalho na área de finanças em São Paulo e hoje mora nos Estados Unidos. Acompanhem pelo instagram: @milafaria

Leave A Comment

Contato

Entre em contato conosco pelo email: contato@mustsharebr.com