Nesse ano, decidimos fugir das multidões e do carnaval de rua, e fomos acampar na Praia do Sono em Paraty, RJ.

Eu sempre ouvi muito sobre esse lugar, mas nunca tive aquela vontade de conhecer. Erro meu. O lugar é realmente diferenciado. Amei, quero voltar, recomendo a visita, é demais.

O que esperar da Praia do Sono?

Pelo que ouvi sobre a Praia do Sono, imaginava um lugar sem estrutura alguma. Total roots, meio do mato e tal. Ao mesmo tempo, me falaram que lotava muito no Ano Novo e no Carnaval, então imaginei uma rave numa matão e praia.

Talvez, num passado não tão distante a praia fosse realmente assim, mas é até que bem estruturada. Simples, mas tem estrutura. Realmente estava cheio de gente, mas nada insuportável, crowdado sabe? A praia é gigantesca, é bem tranquilo em relação ao número de pessoas.

Essa foto representa demais a vibe da Praia do Sono <3

Campings, você vai achar do começo ao final da praia. Ao sair da trilha, você chega no canto direito da praia. Mais para o meio, fica o centrinho. Tem opção de pousada, padarias, escola, igreja e a casa dos próprios moradores, tudo ali na areia mesmo em frente ao mar.

A maioria das pessoas nasceu e cresceu naquela comunidade. É uma vila de pescadores, bem fofa com gente que vive simples num paraíso. A vibe é realmente diferente de tudo que já vi. Temos mais fotos dessa viagem em nossos instagrams @milafaria e @brunapfaria. Acompanhem lá. 🙂

Como chegar na Praia do Sono?

A Praia do Sono fica pertinho de Trindade, bem no meio do caminho entre SP e RJ. Saindo de São Paulo, são +-290 km de estrada e você tem diferentes opções de caminhos como: 1) pegar a Dutra até Taubaté, descer até Ubatuba pela Oswaldo Cruz e seguir pela Rio-Santos; 2) ir pela Carvalho Pinto até São José dos Campos, pegar a Tamoios até Caraguá e seguir pela Rio-Santos; 3) dirigir até Guaratinguetá e pegar a serra que chega em Paraty, voltando um pouco pela Rio-Santos até Trindade.

Nós optamos por descer a serra de Paraty ao invés da serra de Ubatuba. Não conhecíamos ainda e a ideia era ver uma paisagem nova e as condições da estrada para escrever no blog. Além disso, era carnaval e sempre fica um transitinho na rotatória de Ubatuba. A serra é mais chata para descer e a gente pegaria o trânsito do pessoal indo para a praia por lá.

Tomamos a decisão certa descendo por Paraty. Pegamos zero trânsito e a serra é mais “fácil” para descer do que a de Ubatuba porque tem menos curvas fechadas. Ainda achei bem legal ver o limite entre São Paulo e o Rio de Janeiro porque as estradas mudam nitidamente. As condições são boas e a paisagem já vale o caminho.

UPDATE: em set/17 fomos para Ilha Grande e descemos pela mesma serra. No final da serra, já chegando em Paraty, tem que tomar cuidado porque estava com bastante buraco. Passei em um deles a 30 km/h e furou o pneu. Logo em seguida, parou um carro atrás da gente com 2 pneus furados. Fiquem atentos.

Pegando o barco em Laranjeiras

Da Rio-Santos, você entra na estrada de Trindade e vai ver uma placa indicando a direção da Praia do Sono (vira à esquerda). Chegando em Laranjeiras, vai ter uma portaria, mas nessa primeira é só chegar e passar.

A partir desse ponto você terá duas opções para chegar na Praia do Sono: pegar um barco ou seguir pela trilha. Qualquer que seja sua escolha, é preciso parar o carro ali na cidade, seja no estacionamento ou na rua. Nós pagamos 20 reais por dia (preço do carnaval) pelo estacionamento e encontramos vários, sem grandes problemas.

1- Pegar barco para a Praia do Sono

Em Laranjeiras, está localizado um dos condomínios mais luxuosos da América Latina. Para pegar o barco para a Praia do Sono, você vai precisar passar pelo condomínio e a burocracia é grande. É preciso entrar em uma Kombi fora do condomínio para chegar até o local onde saem os barcos, lá dentro.

Primeiro, fomos até a praça onde estavam os moradores responsáveis por esse trajeto. A fila estava GIGANTE por conta do carnaval. Essas Kombis começam a sair às 9h da manhã e muita gente tinha chegado lá às 5h, 6h para ficar na fila e garantir o transporte. Chegamos na fila lá pelas 9h40 e ninguém tinha saído ainda. A mulher responsável nos informou que, pelo número de pessoas na nossa frente, demoraríamos de 3 a 5 horas e que existe um limite de 500 pessoas por dia para passar pelo condomínio. Sendo assim, dependendo da hora em que você chegar em um feriado como Ano Novo ou Carnaval você nem consiga pegar o barco mesmo passando o dia todo na fila.

Nós apenas desistimos de ficar na fila e resolvemos fazer a trilha. Muitas pessoas nos disseram que era certeza absoluta que chegaríamos antes do pessoal do barco, porque o processo lá estava enrolado. Se você conseguir pegar o barco, que é beeem menos tumultado em dias normais e fora de temporada, a travessia custa 30 reais por pessoa (fev/17).

2- A trilha da Praia do Sono

Só de lembrar já quero chorar hahaha. Nós tínhamos certeza que iríamos de barco e levamos a vida basicamente na viagem. Brincadeira, mas, eu, por exemplo, levei mais roupas do que precisava. Além disso, compramos comida, bebidas, etc. Antes de começar a trilha, nos desfizemos de coisas mais pesadas como as garrafas de água. Mesmo assim, a gente tinha bastante peso para carregar.

São 3 km de trilha, mato a dentro e o terreno é bastante íngreme. Os primeiros 20 minutos são escadas e subidas. Eu achei que fosse morrer carregando tanta coisa, suei igual uma condenada. Depois, fica menos pior, mas é um caminho longo. Quando achei que estava chegando, já que né, são só 3 km, vimos uma placa de que tinha passado 1,5 km e faltava a outra metade ainda. Pânico total!

Melhor dica da vida, podem amar o Must Share Br depois dessa: eu não sabia e não li em blog algum antes da viagem, mas é comum os moradores de Laranjeiras se oferecerem para fazer a trilha com você e ajudar com as malas. No meio do caminho, encontramos um senhor que estava voltando e se ofereceu para ajudar. Nós pagamos 20 reais e ele carregou algumas mochilas, o que tornou o trajeto infinitamente mais fácil. Ele disse que em feriados assim, faz o trajeto umas 7 vezes, então está super acostumado.

Se você tiver um preparo físico ok, eu aconselho a trilha pela aventura. Uma menina nos disse que quando não tem coisas para carregar, ela faz a trilha em 40 minutos. Nós levamos quase 2h30 e paramos algumas vezes para respirar. O trajeto não é longo, mas não é dos mais fáceis. Mas fica calmo, dá para fazer! A dica é não levar muito peso, só o necessário. É gratificante demais quando começa a escutar o barulho do mar e chegando lá, nossa senhora, que emoção!

Na volta…

Para voltar, eu jamais faria a trilha hahahaha. Apesar de linda, 1 vez foi suficiente pela experiência. Nós acordamos na terça feira de Carnaval, lá pelas 6h para garantir que não teríamos problema para voltar, desmontamos as barracas e às 7h já estavámos na fila. Os barcos ficam concentrados no meio da praia e quando chegamos já tinha gente por lá.

O serviço da travessia começou às 8h e foi beeem tranquilo, não deu nem 15 minutos de barco. Fizemos todo o processo da Kombi e às 9h já estávamos com nosso carro. Ainda conseguimos dar um pulo na praia do Cepilho em Trindade, bem pertinho. É linda!

Resumindo: em feriados, considere que você fará a trilha se não quiser depender dos barcos. Conversei com uma mulher que disse que demorou 9 horas, desde a hora que ela chegou, para conseguir pegar o barco e chegar na praia.

Acomodação na Praia do Sono

Nós compramos nossas barracas na Decathlon e reservamos o camping. Pesquisei em alguns blogs, fiz algumas comparações e optei pelo camping Marimbar pela estrutura. Assim que você termina a trilha e chega na Praia do Sono, é um dos primeiros campings.

Eles tem restaurante (um dos poucos que aceita cartão), cozinha com panela e tal, banheiro com opção de chuveiro quente e, durante o carnaval, fizeram um esquema de pacote no Carnaval com aulas de yoga 2 vezes por dia + trilha com guia para as praias da região. Juntando tudo isso, pagamos 295 reais por pessoa.

Sinceramente, você não precisa reservar um camping com antecedência em dias normais e nem no carnaval. Talvez no Ano Novo, porque disseram que é bem mais lotado. É super tranquilo chegar lá e trocar ideia com os caras, fazer uma negociação de preço e conferir o camping com os próprios olhos.

A média de preço é de 20 a 40 reais por dia/pessoa. Nós pagamos 74 reais por dia (295/4 dias de carnaval), mas cada aula de yoga era 10 reais para quem não estava no camping, então achei tudo bem ok.

Outra coisa que eu gostei foi que o camping Marimbar estava mais afastado das festas. No Bar Caiçara e no Peixaria no final da praia (lado esquerdo) rolava umas festinhas e bastante barulho. Nós fomos todas as noites nas festas e é de boa caminhar até lá, não dá nem 5 minutos do Marimbar, mas quando voltávamos para nossas barracas, tudo estava na santa paz, sem aquela somzera e eu dormi tranquila.

Alimentação na Praia do Sono

Você vai encontrar até que bastante opções de restaurantes na Praia do Sono. Os preços não mudam tanto de um para o outro e o cardápio também não: era sempre filé de frango ou peixe com arroz, feijão, batata ou lanches.

Os valores dos pratos variavam entre 25 e 35 reais por pessoa. Quase todos cobravam 8 reais pelo suco e as cervejas variam: Brahma e Skol lata eram 6 reais, latão 3 por 20 reais; Long Necks 10 reais, Corona 12 e por aí vai…

Indico super um restaurante rosa que fica ao lado do mercado mais para o meio da ilha. Foi o prato mais servido de todos, tinha até farofa.

A vibe da galera lá é tomar açaí e comer bolo que os moradores passam vendendo. Nossa, experimentem os bolos. Custavam 5 reais, um puta pedaço, muito delícia. Apenas saudades do melhor de todos: bolo de cenoura com cobertura de chocolate (gostei mais do que o bolo de chocolate).

Minha opinião: mesmo se quiser economizar, não compensa levar comida para cozinhar, principalmente se for de trilha. Você vai encontrar mercadinhos e padarias e comprando tudo lá, tira o peso da mala.

Nosso camping tinha cozinha, então fizemos alguns miojos também para ajudar o orçamento.

Festas na Praia do Sono

As festinhas bombaram em 2 lugares durante o carnaval. Mais para o meio da praia e final do lado esquerdo, estava a muvuca. O bar Caiçara ficou muito lotado e lá tocou forró. Na Peixaria, bem pro lado esquerdo, rolou um show de Reggae. Além disso, amigos me falaram sobre o bar do Reggae que também tinha som, mas estava mais vazio.

Tinha muita gente que viajou de galera e eles mesmo faziam a fogueira e o luau na praia. Olha gente, foi bem tranquilo e eu trocaria novamente qualquer bloquinho de rua por esse role da praia do sono. Energia sem igual.

Outras informações sobre a Praia do Sono

  • Li em alguns blogs que sinal de celular, só pegava da operadora Vivo e bem mais ou menos. Meu celular é da operadora Vivo e passei 4 dias sem serviço. Existe um orelhão para dar sinal de vida para os parentes no pátio da escola, perto da igreja da praia lá para o meio da praia.
  • No camping tinha 1 tomada na cozinha e eu consegui carregar a gopro e o celular para tirar fotos. Alguns lugares cobram 3 reais para dar uma carga nos seus aparelhos.
  • Meninas, nem levem muita roupa… eu só ficava de biquini o dia todo e a noite não tem motivo para se arrumar tanto. É uma escuridão só com focos de luzes nas festas, desnecessário levar roupas para escolher. Ninguém vai enxergar nada direito hahaha.

Acho que para dar um norte, nesse post você encontra as principais dicas. Eu a-m-e-i a Praia do Sono. Agradeci muito mesmo todos os dias por estar lá. Abrir a barraca e dar de cara com o mar foi muito maravilhoso.

Nós ficamos 4 dias, mas mesmo se você só tiver o final de semana, chegando em Laranjeiras bem cedinho dá para fazer um passeio bem legal e econômico. Lugar maravilhoso, tá na lista dos “quero voltar logo”. Quem quiser, só me chamar! 😀

Próximos posts

Dicas sobre a trilha para as praias próximas Antigos, Antiguinhos, Galhetas (cachoeira e praia) e Saco Bravo, e um post com todos os detalhes sobre nosso camping + gastos. Foi a primeira vez que acampei na praia e tenho uns toques que vão facilitar a vida se você nunca acampou antes.


Gostou do conteúdo? Compartilha aí para que mais pessoas tenham acesso 🙂 . Se não quiser perder nossas atualizações, curta a página do facebook, instagram, se inscreve no canal. Espero ter ajudado!!!

Atalho para a Praia do Sono
Perto de Paraty e Trindade, seguir até Laranjeiras
3 km de trilha
30 reais por pessoa
Camping Marimbar
Varia entre 20 e 40 reais
Não vale a pena levar comida. Opções de mercados, restaurantes, etc.
Festinhas de forró e reggae
4 dias sem serviço no celular. Foi ótimo!