Minha decisão de abandonar a carteira assinada por um trabalho improvável

Não se preocupe! Já pesquisei sobre todas as desvantagens de abandonar a carteira assinada. Mesmo assim, dos criadores da série “Está permitido não ter um rumo aos 25 anos“, temos aqui o spin off “Saí do meu emprego, empacotei minhas coisas em São Paulo, voltei a morar com meus pais no interior e pintei meu cabelo de rosa”. Qui qui ta aconteceno, Brasil?

Sai do meu trabalho… e agora?

Muitos de vocês já sabem pelo Facebook que eu resolvi sair do meu trabalho. Foi um processo longo e difícil, mas eu sabia que no fundo era isso que eu queria.

Em Fevereiro/17, fui falar com meu chefe sobre minha ‘insatisfação’ na área em que eu estava. Durante quase 2 anos, eu trabalhei com financeiro e, apesar de achar importante e necessário, não é algo que gosto/tenho perfil. Ele foi compreensível, me deu uma oportunidade em outra área, pensei em vários projetos legais, mas logo de cara vi que o que causava meu desconforto ia muito além. Tinha a ver com os meus objetivos e com a sensação de estar no caminho errado para alcançá-los.

Entendi que meu ciclo lá tinha terminado. Mesmo assim, é muito complicado explicar para as pessoas que eu não estava feliz trabalhando em uma empresa renomada, com salário e benefícios certos. Recebi aqueles olhares de quem pensa “iludida, vai perder essa oportunidade”, mas relevei.

Como deixar claro que o que eu queria mesmo era focar no meu blog que nem gera receita ainda, mudando meu estilo de vida atual, provavelmente passando mais perrengues$$, porém seguindo algo que eu gosto de fazer e acredito?

Foi quando finalmente entendi que eu não tinha que justificar, só fazer. E fiz.

ps. o post e o vídeo se complementam 🙂

Quando eu decidi que não queria mais trabalhar em uma empresa

Eu fiz administração de empresas e sonhava em crescer na vida trabalhando em uma. Por uma série de motivos, os quais dedicarei um post inteiro só para falar sobre, eu mudei de ideia. Tem a ver com prioridades, conflitos entre expectativa e realidade e acima de tudo, objetivos.

Pelo menos para mim, não se trata mais de ficar rico. O que eu quero é trabalhar com algo faça sentido também. Saber que estou colocando toda minha energia e disposição em algo que obviamente precisa ter retorno financeiro, mas que, ao mesmo tempo, faz diferença na minha vida e na dos outros.

O Must Share me traz um retorno muito grande e eu sei que posso transformar esse hobby (agora trabalho) em algo totalmente profissional. Para isso, eu preciso de tempo e dedicação, então, sim, eu optei por sair desse mundo de empresas em SP para focar 100% em uma ideia. Pode parecer nada agora, mas é preciso começar de algum lugar.

Como meus pais reagiram

Meus pais são bem mente aberta, jovens e sempre me apoiaram. Mesmo assim, senti uma resistência inicial da parte deles quando disse que queria sair (não fiquem bravos haha). 🙂

Juro que eu entendo! Pensa bem: é complicado. Nossos pais são de uma época com valores totalmente diferentes dos nossos. Carteira de trabalho assinada, carreira e estabilidade financeira é o que realmente e somente importava. Também acho importante porém, hoje em dia, esse não é o único modelo de trabalho mais. Os tempos mudaram e a internet ta aí pra mostrar que tem gente ganhando muito mais dinheiro online e em casa do que trabalhando em escritório.

Independente disso, eles tão super apoiando e animados com meus planos. Eu sei o quanto sou privilegiada de poder contar com eles e minha família durante todo esse processo. <3

2 anos atrás na criação do site…

Mais exótica foi a reação de outras pessoas, algumas que até compartilham das mesmas insatisfações em seus trabalhos. Dá pra contar nos dedos de 1 mão quais apoiaram de verdade do tipo “irado, se joga”. E eu sei que muitos dos conselhos que deram, foi por pensar no melhor para mim, mas acho que cada individuo sabe o que é melhor para si.

Mas vai focar nisso? Que jeito? Por que Blog?

Sempre gostei dessas paradas e era natural. Criei o primeiro blog na 5ª série, com 11 anos, e de lá pra cá tive uns 6 blogs sobre vários assuntos. Eu era/sou meio autodidata. Criança ainda, aprendi a mexer com html, criar meus próprios gifs, usar photoshop sem cursos nem nada… cara, eu fazia meus próprios templates que eram muito bons por sinal naquela época.

Durante o intercâmbio na Espanha, em 2013, resolvi criar com minha irmã o que vocês conhecem hoje como Must Share Br. O Must só foi tomar a forma que tem mesmo quando terminei a facul em 2014 e fiquei desempregada durante 4 meses com tempo livre. Fui me atualizar, procurar sobre servidores, domínios, etc. para deixar o blog mais profissional e o criei usando tutorial na internet. Eu acho que ele foi para frente porque eu consegui juntar duas paixões.

Resumindo: isso não é nada novo para mim! Eu curto desde sempre e acredito muito que pode dar certo.

E o que eu espero dele…

Simples: transformar o site no meu trabalho. Não tem nada a ver com fama, dinheiro fácil, vida que todo mundo quer só viajando. Existe uma diferença muito grande entre fama e sucesso, por exemplo, e para mim, o Must Share já é um sucesso. Tenho meus projetos, um dinheiro guardado pra me bancar e vou tentar a melhor com outro role. E claro, o que eu espero dele é independência financeira, não sendo milionária, mas fazendo o que eu curto. Pedir muito pra sociedade né?

Talvez eu quebre a cara daqui 1 ou 2 anos e pense que eu realmente deveria ter escutado a maioria das pessoas. Talvez eu queira voltar a trabalhar em empresas. Talvez eu precise voltar a trabalhar em empresas. Ao mesmo tempo, eu tenho 99% de certeza que eu não vou me arrepender, porque mesmo quando dá errado, dá certo. Senti que era meu rumo, fiz o diabo a quatro pra conseguir chegar onde estou agora e to em paz com essa decisão.

Eu sigo esse pensamento de que as coisas acontecem exatamente quando tem que ser, no tempo certo, por um motivo. Quantas inúmeras vezes eu já não escrevi isso no blog? Quem acompanha os posts sabe. Esses 2 anos trabalhando na rádio foram muito ricos, uma experiência sem igual. Cresci muito lá, conheci pessoas incríveis e saí apenas agradecendo tudo que vivi.

Agora, eu to seguindo o que eu acho que deveria; com apoio ou sem. Afinal, pessoas falaram que o Walt Disney desenhava mal, que a Adele parecia uma vitrola quebrada cantando e por aí vai… para te colocar para baixo sempre tem um. Jamais pensei que seria diferente. A gente tem mesmo é que se cercar de pessoas boas, porque isso sim faz diferença.

Por fim…

Coloquei “trabalho improvável” no título, mas essa não é a melhor palavra para mim e tudo que estou passando. Improvável significa “algo não impossível, mas difícil de acontecer, com pouca probabilidade“. Essa é a ideia que me passaram quando falei sobre meus planos e tudo bem. Meu título para esse post é “A decisão de abandonar a carteira assinada para seguir meu sonho“. 😉

É isso gente… eu tenho planos que se não derem certo com toda certeza não vai ser por falta de tentativa e vontade. Espero que inspire alguém porque, sério, já está valendo a pena. Se alguém quiser trocar uma ideia e conversar: comentários, inbox, e-mail… é nóis.


Meus próximos posts sobre o assunto serão “como ganhar dinheiro com blog” e “quando eu decidi que não queria mais trabalhar em uma empresa”. Se você não quiser perder nossas atualizações e dar uma moral prazamiga, curta a página do facebook, instagram e se inscreve no canal.

No facebook

comentários

By |2017-05-27T00:31:22+00:0027 maio, 2017|

About the Author:

Camila Faria, 26, mackenzista formada em Administração de Empresas com pós graduação em Controladoria de Empresas pela FIA. Fez o primeiro intercâmbio aos 17 anos e criou o site em 2013, durante o ano em que fez faculdade na Europa. Para se dedicar ao Must Share Br, saiu do trabalho na área de finanças em São Paulo e hoje mora nos Estados Unidos. Acompanhem pelo instagram: @milafaria

Leave A Comment

Contato

Entre em contato conosco pelo email: contato@mustsharebr.com