Colônia do Sacramento: dicas sobre a cidade mais fofa do Uruguai

Colônia do Sacramento (Colonia Del Sacramento, em espanhol) foi uma das cidades mais fofas e queridas que eu já visitei na vida. Ela é toda pequenina e acolhedora. Dona também do pôr do sol mais lindo que eu vi durante todo o mochilão de 2 meses pela América do Sul.

Esse foi um dos posts que eu mais enchi de foto porque realmente a cidade é linda!

Fim de tarde em Colonia del Sacramento

Sobre Colônia do Sacramento

Colônia do Sacramento foi a única cidade do Uruguai colonizada por portugueses. Em 95, a cidade recebeu o título de Patrimônio Cultural e Natural Mundial pela UNESCO. Dá para perceber porque ela é tem um estilo bem diferente das demais que passei, tudo bem conservado e histórico. É uma cidade pequena, tem seus 25 mil habitantes e dá para fazer tudo andando. Localizada a 181 km de Montevidéu, é um destino bem comum para pessoas que viajam também para Buenos Aires, Argentina porque é só fazer uma travessia de barco fácil de uma cidade para a outra pelo Rio da Prata.

Fiz esse trajeto Buenos Aires – Colônia do Sacramento de barco também e vou contar todos os detalhes no próximo post.

Como chegar em Colônia do Sacramento

Eu estava em Montevidéu e peguei um ônibus para seguir para Colônia do Sacramento. Fui até a rodoviária de Montevidéu de Uber e comprei meu bilhete de ônibus.

Colônia do Sacramento de ônibus saindo de Montevidéu

Chegando na rodoviária de Montevidéu é fácil achar um guichê de empresas com placas para Colônia do Sacramento. Eu paguei 360 pesos uruguaios na passagem de ônibus. De carro, o trajeto leva umas 2 horas e de ônibus foram umas 2h40. Já na rodoviária de Colônia deu Sacramento, fui andando para o hostel. Foi rapidinho.

A rodoviária fica ao lado do porto de onde saem os barcos para Buenos Aires.

Hospedagem em Colônia do Sacramento

Assim como em Punta del Este e Montevidéu, me hospedei no El Viajero de Colônia do Sacramento. Na teoria, você tem desconto na próxima hospedagem se já ficou em um dos hostels da rede. Ao chegar no El Viajero de Colônia do Sacramento, o cara da recepção disse que não poderia nos dar o desconto porque a gente tinha que ter feito a reserva lá do hostel de Montevidéu.

Isso não aconteceu em Montevidéu. Assim que chegamos lá, só falei que tinha ficado hospedada em Punta del Este, mostrei a reserva e fim. Em Montevidéu, nos informaram que era só chegar em Colônia e fazer o mesmo. Não rolou.

Como disse no post de Montevidéu, cada hostel tem um dono diferente, apesar de ser da mesma franquia, e as coisas mudam. Um pode ser mais burocrático, outro mais organizado e por aí vai. Sabendo disso, se você planeja ficar em vários El Viajeros, assim como eu, te aconselho a conversar com o staff do hostel e tirar todas as dúvidas para conseguir esse desconto antes de partir para o próximo.

El Viajero de Colônia do Sacramento

Além desse problema do desconto, descobrimos lá na hora que não tinha mais camas disponíveis em quarto compartilhado. Como era baixa temporada, eu quase não tive problemas em não fazer reservar com antecedência, mas isso me lembrou o quanto é importante garantir seu lugar.

E agora? Tava economizando nas acomodações, mas também estava cansada para sair e buscar outro lugar, então acabei pegando um quarto privado para 2 pessoas por 960 pesos uruguaios (+- 54 reais por pessoa) porque estava seguindo viagem com uma chilena que conheci em Punta del Diablo.

Foi bom, já que era minha última cidade do Uruguai. Fechamos com chave de ouro. O hostel é menorzinho do que o de Montevidéu, mas super recomendo. É limpo, tem um espaço com bar, lareira para interagir com novas pessoas. Foi um dos hostels que eu mais conversei com pessoas e fiz amizades. Eles fazem um assado uruguaio por 250 pesos  por pessoa (preço bem justo) e você pode comer e beber vinho a vonts. Apesar da cidade ser bem pequena, o hostel está numa localização muito boa, perto do centrinho e da rodoviária também.

Sempre faço minhas reservas pelo Booking.com. A grande maioria dos hostels só te cobra lá na hora e se precisar cancelar a reserva com antecedência não tem taxas. Para reservar o El Viajero, clique aqui que vai direto na página deles. Se quiser conferir outras acomodações na região, segue a lista nesse link.

O que fazer em Colônia do Sacramento

Só fiquei 2 dias e 1 noite em Colônia do Sacramento e para mim foi suficiente. É possível fazer um bate e volta também. A cidade é bastante histórica, bem preservada e tem vários museus. Assim como em Montevidéu, optei por passear pelo centrinho, bater perna e pulei os museus, mas para quem gosta e tem interesse, tem bastante opção.

Plaza Mayor 

A Plaza Mayor é a praça do centro da cidade. Nela está localizada a igreja, vários bares e restaurantes. Vi muitas famílias com crianças brincando e tal. A Basílica Del Santísimo Sacramento fica aberta ao público e pode entrar para visitar.

Subir no Farol

O que a costa do Uruguai mais tem é farol (faro em espanhol). Visitei o de Cabo Polonio, vi o de La Paloma, mas também tem em Punta del Este e em Colônia não poderia faltar. Ele é menor do que o de Cabo Polonio, mas vale a pena subir e ter uma vista panorâmica da cidade.

Eles são mais rigorosos com a subida, tem um número certo de pessoas e, por isso, ficamos esperando um tempinho na fila. São muitos degraus e 2 andares para subir. O acesso não é dos mais fáceis porque a escada faz o contorno do farol, então tem muitas voltas (eu fiquei até meio tonta) e algumas partes tem o teto baixo. Tem que tomar cuidado para não bater a cabeça!

Vi pessoas tendo uns pirepaques por conta do medo de altura, então se você não suporta altura, nem vale a pena subir, porque é “difícil” para descer com rapidez, ainda mais pelo número de pessoas que estarão atrás esperando para subir ou descer.

Por fim, quando fui era inverno então fez frio, mas venta muito lá em cima, então aconselho levar um casaquinho independente da época.

Calle de los Suspiros

As ruas de Colonia del Sacramento

Bem do lado do Farol, fica a Calle de los suspiros que é uma das ruas mais antigas da cidade. Ela é conhecida, porém qualquer ruela que você passar em Colônia de Sacramento vai te trazer uma sensação de viagem no tempo. Muita gente fala que Colônia del Sacramento é a Paraty do Rio de Janeiro e eu achei bem parecida mesmo.

Assistir o pôr do sol

Eu sou apaixonada por assistir pôr do sol e posso garantir que o de Colônia do Sacramento é um espetáculo. Essa foto não tem filtro e ao vivo era mais espetacular ainda. Passe o fim de tarde nessa cidade, vale a pena conferir, criar uma memória incrível e tirar as fotos mais lindas possíveis. Eu assisti o pôr do sol perto do Puerto de Yates, que tem um deck com uns banquinhos para sentar.

Avenida General Flores

É a avenida mais movimentada com restaurantes, farmácias, supermercados. É uma rua mais comercial e menos histórica, pertinho do hostel e nela você vai encontrar tudo que precisa.

Sugestão de restaurante em Colônia do Sacramento

Eu só vou deixar essa dica de onde comer em Colônia do Sacramento porque como essa foi minha última parada no Uruguai eu já estava num nível que precisava começar a economizar. O Uruguai não é um país muito barato e eu estava buscando opções mais em conta. Encontrei esse restaurante chamado Mercosur na própria Av. General Flores que fica perto do hostel. Se quiser economizar, grave esse nome: Mercosur: restaurante, pizzaria e parrillada. Adorei!!!

Funciona assim: você pode ganhar descontos se pedir sua comida para levar e se pagar no cartão eles te dão mais desconto ainda. Parece que é uma lei no país e todos deveriam fazer, mas em quase nenhum estabelecimento isso aconteceu durante minha viagem inteira. Inclusive, aconteceu o contrário várias vezes: se pagasse no cartão, aplicavam uma taxa.

Esse prato abaixo era frango a milanesa + batatas fritas e é muito grande então eu dividi com minha amiga chilena. Custou 184,50 pesos uruguaios (+- 21 reais) sem o desconto com pagamento do cartão de crédito. Sendo metade para cada uma daria 94 pesos por pessoa. Como paguei no cartão, tive um desconto de 16,95. Resumindo: saiu 77,05 pesos uruguaios (R$8,75). A gente levou para comer no hostel e foi muito bom.

De fato não é um banquete luxuoso, mas pelo preço que pagamos foi bem justo. Tem muitas opções no cardápio deles, é bem diversificado, então se você quiser alguma coisa mais elaborada e barata, continua sendo uma boa opção. A gente comeu no próprio restaurante no primeiro dia e pedimos uma sobremesa maravilhosa.

Vale a pena conhecer Colônia do Sacramento no inverno?

Sim! Sem mais. Vale a pena conhecer Colônia do Sacramento em qualquer época do ano. É lindinha demais. <3


Com esse post eu fecho meu roteiro pelo Uruguai. No dia seguinte, segui para o porto de Colonia del Sacramento e parti para a Argentina. Depois passei pelo Chile, Bolívia e Peru o que significa : tem muuuuito post e muita dica boa para vocês ainda. Para não peder nossas atualizações, estamos no facebook, Instagram e youtube. Tem mais fotos no meu insta pessoal também: @milafaria. <3

Vale lembrar: informação útil é informação compartilhada. Compartilhe com seus amigos.

No facebook

comentários

By |2018-01-04T01:21:14+00:0028 novembro, 2017|Tags: , |

About the Author:

Camila Faria, 26, mackenzista formada em Administração de Empresas com pós graduação em Controladoria de Empresas pela FIA. Fez o primeiro intercâmbio aos 17 anos e criou o site em 2013, durante o ano em que fez faculdade na Europa. Para se dedicar ao Must Share Br, saiu do trabalho na área de finanças em São Paulo e hoje mora nos Estados Unidos. Acompanhem pelo instagram: @milafaria

One Comment

  1. Roberta Mendes 21 de março de 2019 at 10:38 PM - Reply

    Obrigado por tudo mesmo…..menina que paciência ….Você deveria virar guia ou promotora de viagem♥

Leave A Comment

Contato

Entre em contato conosco pelo email: contato@mustsharebr.com