Agora no final do ano fomos passar a virada no Rio de Janeiro e voltamos cheias de dicas sobre o que fazer no Rio de Janeiro e um roteiro de 4 dias.

Uma das maiores preocupações de quem quer visitar o Rio de Janeiro é a segurança. A cidade tem fama de perigosa, mas mesmo assim atrai muitos visitantes (brasileiros e gringos) o ano todo.

Para acalmar o coração de vocês que podem estar preocupados com isso… A primeira coisa que percebi e que acho que vale a pena dizer é que a cidade tem bastante policiamento. Não me senti em perigo real em nenhum momento.

Com um pouco de cuidado, dá para ter uma experiência boa e sem dor de cabeça. O que sim eu recomendo é ficar ligado o tempo todo e tomar conta das suas coisas! Vimos alguns casos de furto por lá.

Agora vamos a parte boa!! Turistar pela cidade… o roteiro que fiz foi para mostrar os principais pontos turísticos para um amigo gringo. Queríamos ter feito muito mais coisa, mas infelizmente não tínhamos muitos dias na cidade.

Hospedagem no Rio de Janeiro

Nós ficamos hospedados no hostel Selina na Lapa. Selina é uma rede de hostels que está em vários países diferentes e até agora pelo que vi sempre tem uma qualidade impecável.

Era o único hostel que não estava absurdamente caro no Ano Novo (nós buscamos hospedagem de última hora). Eles oferecem quarto compartilhado por a partir de R$ 60 e quarto privado por a partir de R$ 237.

O hostel tem um restaurante (aberto ao público), rooftop (quando estávamos lá teve samba), sala de TV, biblioteca, cozinha etc. É bem completo!! Se você for de carro, perto do hostel tem estacionamentos 24 horas.

Fica localizado na região central do Rio, bem perto dos bares da Lapa, de pontos turísticos como a Escadaria Selarón, Praça Cinelândia e históricos como o Palácio Imperial e a Igreja Nossa Senhora do Carmo.

De lá também dá para ir andando até a Boulevard Olímpico e visitar todos os pontos turísticos que estão na região: o Museu do Amanhã, a Praça Mauá, o painel Etnias, a roda gigante Rio Star e vários outros!

Melhores hostels do Rio de Janeiro por bairro

Tem várias outras regiões boas para ficar hospedado no Rio de Janeiro. Na outra vez que visitamos a cidade ficamos hospedadas num hostel em Ipanema.

Além de Lapa e Ipanema, outras opções de hospedagem podem ser em Copacabana, Botafogo (zona sul do Rio) e Barra da Tijuca (um pouco afastado das atrações turísticas, mas pertinho da praia e bem seguro).

Pesquisei um pouco no Booking para colocar aqui para vocês o hostel mais bem avaliado em cada região (hostels que eu escolheria) e os preços:

  • Lapa: Hostel Selina (quartos compartilhados por R$ 60 e quartos privados por R$ 237).
  • Ipanema: Beach House Ipanema (quartos compartilhados de 9 camas por R$ 82 e quartos privados por R$ 189).
  • Copacabana: Pura Vida (quartos compartilhados de 10 camas por R$ 39 e quartos privados por R$ 172).
  • Botafogo: Injoy Rio (quartos compartilhados de 8 camas por R$ 61 e quartos privados por R$ 179)
  • Barra: Beach House Jardim Oceânico (quartos compartilhados de 9 camas por R$ 88 e quartos privados por R$ 129).

Em Botafogo vi outro hostel bem avaliado, o Gaia Comfort Hostel. No bairro Santa Teresa, os hostels com melhor avaliação são Terra Brasilis e Discovery Hostel. Outra rede de hostel conhecida no Rio é o Che Lagarto (em Copacabana e em Ipanema).

Os valores citados acima foram retirados do site Booking e foram colocados para serem usados apenas como referência. Podem variar dependendo da época da sua visita e o dia da semana.

Faz alguns anos vi um lugar que acho que vale a pena citar também: o Mirante do Avrão. O lugar tem um design lindo e quartos com vistas incríveis. Fica a dica para quem tiver um pouquinho mais de budget (quartos privados a partir de R$ 304).

Atrações turísticas no Rio de Janeiro: roteiro de 4 dias

  • DIA 1: centro do Rio de Janeiro, Boulevard Olímpico e bairro Santa Teresa
  • DIA 2: Parque Lage e Cristo Redentor
  • DIA 3: Pão de Açúcar e Urca
  • DIA 4: Copacabana, Ipanema e Arpoador
Walking tour histórico no centro do Rio de Janeiro

Nós fizemos um walking tour pelo centro do Rio de Janeiro e foi uma das coisas que mais gostei de ter feito nessa visita! Depois de ter visitado tantas vezes a cidade, essa foi a primeira vez que parei para escutar um pouco sobre a história do Rio.

Percebi que nunca tinha dado a devida atenção à importância histórica de lá e amei conhecer um pouco mais sobre isso. Às vezes é bom entrar um pouco mais no papel de turista no nosso próprio país.

O guia foi muito divertido e o tour foi completamente em espanhol, mas com certeza tem tours disponíveis em português também. Visitamos vários pontos turísticos como:

  • Arcos da Lapa: é um dos símbolos do bairro e foi construído para trazer água para a cidade (é um aqueduto).
  • Confeitaria Colombo: fundada em 1894 e escolhida como um dos 10 cafés mais bonitos do mundo (fechada aos domingos).
  • Praça Cinelândia: onde fica o Teatro Municipal, a Biblioteca Nacional e o Museu Nacional de Belas Artes.
  • Palácio Imperial: é um edifício colonial de estilo barroco e foi o palácio utilizado pela família real.
  • Igreja Nossa Senhora do Carmo: onde aconteceu importantes eventos relacionados à família real como a sagração de Dom João VI como rei de Portugal.

Nosso tour acabou na Praça 15 de Novembro e de lá o guia sugeriu que caminhássemos até o Museu da Amanhã. A caminhada é super agradável e tranquila pela Orla Conde.

Museu do Amanhã e Praça Mauá

A área portuária foi revitalizada faz alguns anos e vale muito a pena passar algumas horinhas por lá. Nós visitamos o Pier Mauá, a Praça Mauá e chegamos até o Museu do Amanhã.

O Museu do Amanhã é hoje o museu mais visitado do nosso país e vale muito a pena visitá-lo nem que seja só pelo lado de fora. A entrada custa R$ 20 e às segundas está fechado. Nas terças a entrada é gratuita para todos.

Uma coisa que achei legal é que além das “meia-entrada” que já conhecemos (idosos, estudantes), vi que clientes Santander pagam meia também! É só pagar a entrada com o seu cartão Santander.

Clique AQUI para mais informações e detalhes do site oficial do museu. E AQUI para saber mais sobre quem tem direito ao ingresso gratuito ou meia.

Em alta temporada o museu fica lotado e os ingressos esgotam. É melhor comprar com antecedência pela internet. Os bilhetes gratuitos também podem ser retirados online.

Painel Etnias e Rio Star

Continuamos a visita e fomos até o painel Etnias que foi reconhecido como o maior grafite do mundo pelo Guinness Book. “Etnias” foi feito por um dos nomes mais reconhecidos no mundo do grafite: Eduardo Kobra.

Por fim, caminhamos até a Rio Star, a maior roda gigante da América Latina. Mais tarde visitamos o bairro Santa Teresa para comer a feijoada no Bar do Mineiro.

Bairro Santa Teresa e o bondinho

O bairro Santa Teresa é famoso não só pelos bares com música ao vivo (como o Bar do Museu Clube da Esquina), mas também por ter uma história da época colonial que se vê refletido em alguns edifícios e na Igreja que fica na praça Duque de Caxias.

Quando fomos os bares estavam cheios e deu para ver que é um bairro cheio de vida e muito frequentado por locais e turistas (vimos muitos gringos).

Saindo do hostel nós pegamos um Uber por R$ 8 para chegar no bairro Santa Teresa. Se quiser uma experiência mais turística, tem a opção de pegar os famosos bondinhos de Santa Teresa que passa pelos Arcos da Lapa.

A estação inicial fica na Rua Lelio Gama (no centro do Rio de Janeiro), perto da estação de metrô “Carioca”. O bilhete custa R$ 20 e pode usar o dia todo (funciona até as 17h). Atenção: sábado e domingo têm horário de funcionamento diferentes!

View this post on Instagram

Já posso morar no Rio? 💙

A post shared by Bruna Faria (@brunapfaria) on

Parque Lage 

Você já deve ter visto o Parque Lage em várias publicações do Instagram! O lugar é lindo e tem uma vista linda do Corcovado e do Cristo. Fica na rua Jardim Botânico e o estacionamento é restrito. Nós paramos na rua lá perto e caminhamos um pouco.

Para chegar de transporte público, peguei as indicações do próprio site do metrô do Rio de Janeiro. Copio e colo aqui para facilitar a vida de vocês:

Para chegar ao Parque Lage, pegue o metrô linha 1 ou 2, desça na Estação Botafogo, e pegue logo em frente o Metrô Na Superfície sentido Gávea. Saia na Estação Hospital da Lagoa.

Cristo Redentor

Depois do Parque Lage você pode aproveitar para visitar o Cristo. Se você resolver fazer os dois no mesmo dia como eu fiz, vale a pena pegar o Trem do Corcovado em vez das vans. A estação de onde sai o trem está a 10 minutos de carro do Parque Lage.

É aconselhável comprar o ingresso do Trem do Corcovado com antecedência pela internet. Quando eu cheguei já não tinham ingressos e quase cai numa cilada de ir com as vans que ficam lá na frente (Corcovado Car Service).

NÃO recomendo!! Eu vou contar a história completa no post Como visitar o Cristo Redentor no Rio de Janeiro: opções e dicas (em breve).

Por sorte alguns grupos de cruzeiro cancelaram e o guichê do Trem do Corcovado começou a vender os ingressos de novo. Conseguimos o trem das 16:40. Você tem que estar lá pelo menos 20 minutos antes do horário marcado.

As vans que sim são recomendadas são as vans oficiais do Cristo Redentor que saem de vários lugares diferentes da cidade. No post que mencionei acima terá todos os detalhes.

Outra atração que está próxima do Trem do Corcovado (nunca fui, mas ouvi falar) é o Mirante Santa Marta. Pelo que vi a melhor forma de chegar é de Uber/táxi. Se você já esteve lá, comente para a gente saber se vale a pena 🙂

Bondinho do Pão de Açúcar

O bondinho do Pão de Açúcar é uma das minhas atrações turísticas favoritas da cidade. A vista é simplesmente maravilhosa!! Eu amo. O local é grande e por causa disso parece que não fica tão lotado como o Cristo.

Mesmo quanto tem muita gente e filas para pegar o bondinho, você consegue encontrar espaços que não tem tanta gente. Mudou muito desde a primeira vez que fui. Agora tem várias lojas (Havaianas, Chili Beans) e restaurantes.

Nós fomos de táxi, mas é possível ir de transporte público (metrô + ônibus). Mais uma vez busquei as informações no site do metrô do Rio de Janeiro. Coloco as informações aqui para facilitar:

Você tem que descer na Estação Botafogo (linha 1) e seguir as placas “ônibus expresso” (saída E). Saindo da estação, tem que pegar o ônibus 513 Botafogo Urca (na direção Urca). A parada fica do outro lado da rua (tem que atravessar).

A entrada custa R$ 116 e todas as vezes que fui tinha uma fila considerável (sempre fui em alta temporada). Vale a pena comprar pela internet para passar por só 1 fila (da entrada) e aproveitar o desconto de 10% (fica R$ 104,40).

Se você comprar a sua entrada pela internet ou nas máquinas disponíveis do Trem do Corcovado, você consegue 10% de desconto também.

View this post on Instagram

Rio de Janeiro: só tem no Brasil 😅💙🇧🇷

A post shared by Bruna Faria (@brunapfaria) on

Urca: vistas incríveis da bahia

Depois da sua visita no Pão de Açúcar, vale a pena caminhar até a Avenida Portugal para conhecer a “Mureta da Urca”. São vários bares e uma vista linda da bahia. A galera toma uma cerveja lá na mureta mesmo.

Saindo do bondinho, é só caminhar mais ou menos 10 minutos para chegar lá. Não se preocupe! O bairro é residencial e super tranquilo para caminhar.

Copacabana, Ipanema e Arpoador

A praia de Copacabana é famosa por ser palco de uma das maiores viradas de Ano Novo do mundo e pelo luxuoso hotel Copacabana Palace. Já Ipanema é conhecida pela música Garota de Ipanema e pela praia. A pedra do Arpoador pelo pôr de sol.

Vale muito a pena visitar, mas em alta temporada é muito cheio! Como está um do ladinho do outro, dá para visitar tudo a pé no mesmo dia mesmo. Se quiser chegar de transporte público, as estações de metrô mais próximas são:

  • Copacabana: estação Cardeal Arcoverde
  • Ipanema: estação General Osório
  • Arpoador: estação General Osório (mais ou menos 10 minutos de caminhada)

Para mim esses são os pontos principais do Rio de Janeiro, mas tem muuuito mais coisa para fazer se você tem mais dias ou já fez esse roteiro mais turístico em uma visita anterior.

Sugestão de outras atrações turísticas:

Uma das trilha mais conhecida da cidade é para a Pedra da Gávea que tem vistas incríveis do Rio de Janeiro. A trilha é de mais de 3 horas e que necessita de um pouco de esforço porque tem subidas e paredões de 30 metros.

Eu ainda não fiz, mas morro de vontade de fazer! Pelo que eu li, é recomendado ir com um guia (vi essa recomendação até mesmo no site oficial de turismo do Rio de Janeiro).

Outra coisa que eu quero muito fazer algum dia é o voo de asa delta na Pedra Bonita que fica dentro do Parque Nacional da Tijuca. O pouso é feito na praia e o voo é de 10 a 15 minutos.

Para quem estiver de carro também é recomendado conhecer as praias que estão um pouco mais distantes do centro e das regiões mais turísticas do Rio de Janeiro como a “Prainha”. Você também pode emendar a viagem para a região dos Lagos.

Se você tem mais sugestões de o que visitar no Rio de Janeiro, deixe os seus comentários. Adoramos saber as dicas dos nossos leitores 🙂


Gostou do post? Compartilha aí para que mais pessoas tenham acesso 🙂 . Se não quiser perder nossas atualizações, curta a página do facebook, instagram, se inscreve no canal

No facebook

comentários